o tour



O tour que escolhemos percorreu o sul da Namíbia por 7 dias, totalizando 1800 quilômetros de estrada.

Foi muito chão e muitas vezes passamos quase metade do dia dentro do carro. Mas não incomodou: a janela sempre oferecia uma atração impressionante.

oryx

A Namíbia é extremamente bem preparada para receber turistas. Eu estava um pouco familiarizada com algumas coisas pois o país se parece, em muitos aspectos, com o interior da África do Sul.

Mas a Carina, além de se impressionar tanto quanto eu com o cenário, ficou de cara com a estrutura dos campings que ficamos: praticamente todos tinham piscina e um tinha até wifi (!!). Além de banheiro com água quente e bar com cerveja gelada. Sempre.

campsite

camping with a pool

As estradas também eram excelentes. Nossa piada recorrente é que a maioria das estradas em que viajamos, mesmo sendo de terra, eram melhores que muita rua do Rio de Janeiro.

the view from within

Para quem quiser ir:
- Totalmente sem querer, usamos a mesma companhia que a Adriana, do Dri Everywhere, usou na viagem dela – o Wild Dogs Safaris. Amamos.
- Como sem querer? Porque a parte namibiana da nossa viagem foi toda montada – com muitíssima atenção e carinho – pela BelAfrique, uma agência bem pequetica de Cape Town. Além do tour, providenciaram hotel em Windhoek, transfer para o aeroporto e coisas afins. Tudo a um preço justíssimo e mais barato do que se tivéssemos negociado diretamente. Pagamos cerca de R$2.200,00 pelos nossos 10 dias na Namíbia, com praticamente todas as refeições inclusas, além da hospedagem e do tour.
- Todos os campings e guesthouses que fiquei na Namíbia estão aqui. Alguns, vou citar em posts; outros não.
- O norte da Namíbia parece valer muito a viagem, assim como Swakopmund, a famosa cidade na Costa dos Esqueletos (ou pertinho). Não fui por falta de tempo e quero muito voltar!
- Mas a Namíbia não é um país renomado por sua vida selvagem – só para alinhar expectativas. :) Se esse é seu foco, a vizinha Botswana é bem mais indicada.
- Como falei, fomos super bem servidas por lá: de infra-estrutura turística, de serviços excelentes, de sorrisos amigos e boa vontade genuína.

Post to Twitter Post to Facebook

Tags: , , ,

2 Responses to “o tour”

  1. Eduardo Says:

    Valeu pelas dicas, Re! Vou ver as opções da WildDog.
    E depois da Namíbia vou para Botswana, e de lá para Victoria Falls. A viagem promete!! Bjos

  2. Carina Guedes Says:

    Eu já acampei muito no Brasil…
    Já estive em lugares como: Caraíva na Bahia, Ibitipoca em Minas, Ilha Grande no Rio de Janeiro, Chapada dos Veadeiros em Goiás, Paraty no Rio etc…
    Enfim, já vi de perto as condições patéticas que temos oferecido aos amantes da barraca!
    Quando a Rê me convidou pra acampar na Namíbia, minha expectativa foi de que seria uma viagem de puro perrengue, problemas para dormir, problemas com banheiro, higiene, etc. Fora que não tem como não pensar que por ser mais barato tem-se as pessoas de pior comportamento comunitário da face da terra.. Daquelas que vem, sujam, destroem tudo e tem absolutamente a certeza de que não vão voltar e que somente elas existem no planeta ao redor…
    É assim no Brasil na totalidade dos campings que fiquei… As pessoas que gostam deste estilo de vida se vêem misturadas a uma grande maioria que acampa por falta de grana e se comporta como se comporta perto de casa, no banheiro do trabalho ou do clube: de forma imunda, pouco cooperativa e com muito desdém pelo outro.
    Daí meu choque!!!! Daí minhas fotos estupefatas, admiradas e deslumbradas com toda a estrutura que encontrei na Namíbia… Precisaria mostrar aos amigos que arregalaram o olho pra mim quando disse que ia ACAMPAR no deserto. Muitos disseram: “Você tem grana para ir para hotéis bons, porque você vai fazer isso?!!”.
    Mesmo tendo a imagem do perrengue baseado em fatos reais brasileiros, eu tava pilhada com uma experiência diferente.. Assim como as que tive em todos os lugares nos quais acampei no Brasil.
    Mas a África me derrubou de jeito!! A África me chocou!!
    Os banheiros eram excelentes, todos estavam sempre limpos… Existiam silos para os grupos de hóspedes, é isso mesmo!!! Não são barracas empilhadas uma ao lado da outra ao longo do camping. Existem áreas demarcadas e cercadinhas sempre com uma árvore de sombra deliciosamente grande que abriga cada excursão (carro + todas as barracas deste carro) e um banheiro que atende no máximo 3 silos próximos com separação entre gêneros e ainda lugar para lavar a roupa. Existe sempre uma lojinha pra vc poder comprar os presentinhos de artesanato local ou não tão local assim e bar para a compra do bom e velho refrigerante, cervejinha e água (essa é outra história.. água fica bom demais quando de fato sentimos sede!!!).
    Além disso, temos que falar que a excursão dos WildDogs é bem higiênica. Todos lavam as mãos para manipulação dos alimentos, tomam banhos diários, cozinham maravilhosamente bem (a gente ajuda se quiser e o cardápio é bem variado) e contam muitas coisas sobre as espécies de animais, além de dividirem infos sobre a cultura do país onde nasceram.
    Fornecem também barracas espaçosas (fica-se de pé dentro delas) e arejadas e também cobertores para colocarmos sobre o nosso saco de dormir e colchões.. Então, até a barraca é melhor que muito albergue que fiquei pelas andanças deste mundo.
    Amei e recomendo esse tour Namíbia.
    Dona Renata acertou em tudinho que planejou..

    Ahhhh não posso esquecer de dizer que viajei achando que só ia ver landscapes… Mas as fotos podem provar… Vimos muitos animais… Vimos animais selvagens.. Estouro de zebrada na estrada, fuga conjunta de grupo de babuínos, kudus, spring bocks, e muitos outros bocks que sempre esqueço o nome de todos… Vimos javalis, pássaros de trilhões de espécies, girafas, cheetas, vimos até dinossauros!!!
    Eu já falei Kudu?!!
    Comi churrasco de Kudu!! THE END!!! rsrsrsrsr

Leave a Reply